Por Favor aguarde...
 
   Lembrar dados
 
   Esqueci-me da password
 
 
 

Que tipo de cerimónia pretende?

Ver Resultados

O que nos prende...

O que nos prende...

Quando me pediram para escrever sobre o casamento fiquei um pouco assustada, ou não fosse eu ainda solteira... mas depois lembrei-me que, em regra, o casamento remete ao simbolismo de “laço amoroso”, e perdoem-me aqueles que discordam, mas lembrei-me  de uma raposa... quem não se lembra da raposa de “O Principezinho” de Saint-Exupéry?


Passo a citar: “(...) foi então que apareceu a raposa (...) Laços? – Sim, laços – disse a raposa. – Ora vê: por enquanto para mim, tu não és senão um rapazinho perfeitamente igual a outros cem mil rapazinhos. E eu não preciso de ti.

E tu também não precisas de mim. Por enquanto, para ti, eu não sou senão uma raposa igual a outras cem mil raposas. Mas, se tu me prenderes a ti, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E, para ti, eu também passo a ser única no mundo (...) Se tu me prenderes a ti, a minha vida fica cheia de sol.”

E não é numa constante procura de “Sol” que a maioria de nós se envolve? Para mim o sentido das coisas não se limita apenas ao que elas são per si, mas ao laço que as liga, e é a um laço mais ou menos apertado que a maioria de nós acaba por se entregar, de corpo e alma como é devido ao Amor.

Isto porque, mais cedo ou mais tarde, cada um de nós assume o casamento como um objectivo. Para muitos é mesmo o objectivo central nas suas vidas, é como se a vida não fizesse sentido sem aquele laço. Ouço muitas vezes palavras que no seu âmago trazem agregada a ideia de um ciclo que passa por, nascer, crescer, casar, procriar e morrer, e embora muitas vezes não se preste atenção, o ciclo da vida acaba por passar exactamente por estes momentos que, no fundo, lhes conferem todo o sentido. Ninguém deseja viver sem o sentido que o outro lhe traz à vida, e o laço do casamento, mesmo que os amores felizes sejam raros, pressupõe a oportunidade de cada um tentar a sua sorte.

Este laço desfaz-se quando há confusão das relações e das responsabilidades. Caso contrário, a confiança no Amor e a responsabilidade para com  o outro revela que o casamento simboliza um laço que nem mesmo a morte consegue romper. E aqui não me refiro a qualquer espécie de “contrato nupcial”, mas sim às emoções inerentes a uma relação.

Reporto-me ao laço que nos prende ao outro e nos leva a assumir um compromisso emocional que nasce e se constrói dia-a-dia, e que precisa de ser alimentado diariamente, como se de uma flor se tratasse, essa mesma flor que nasce, cresce, nos prende a ela e nos faz acreditar que gostamos e somos gostados pelo que somos e pelo que nos liga um ao outro.

M.R.


  • Dicas para Tirar o Melhor Partido da sua Relação

    As orientações apresentadas neste artigo funcionarão melhor se ambos os parceiros as seguirem, no entanto, uma mudança nas atitudes de um dos parceiros pode encorajar também mudanças no outro. As relações mostram o nosso melhor e o nosso pior. Aqui estão algumas maneiras de tirar o melhor partido da sua relação.

  • Divórcio: Quando «nós» passa a ser Eu e Tu

    Podemos encarar o divórcio como um ruptura dolorosa, ou apenas como uma separação quase desejada. Só em 2002 houve um aumento da divorcialidade na ordem dos 46%, sendo que em cada 100 casamentos, 49 resultaram em divórcio.

  • Irá o amor durar? A forma algébrica

    No dia 7 de Agosto de 2003, foi apresentado pela primeira vez, numa conferência internacional, e publicado pela London Telegraph a 8 de Agosto de 2003, a sugestão de que o segredo de um casamento feliz pode ser encontrado em duas complexas linhas de álgebra.

  • Uma troca - Swinging

    Podemos verificar que, um pouco por todo o lado, o casamento perdeu popularidade, aumentaram os divórcios e os celibatos. O número de filhos diminuiu, o nascimento destes acontece fora do casamento de “papel passado” e, estas mudanças saltam aos nossos olhos por onde quer que passemos.

  • Casamento e o Dinheiro: 5 Dicas para um bom...

    As discórdias relacionadas com dinheiro afectam muitas vezes as relações ao ponto de as romper. Por isso, antes mesmo de casar , os noivos deverão estabelecer regras e estratégias sobre o modo como vão gerir o dinheiro e como o vão

  • Ciúme: Como lidar com o Problema?

    Segundo a revista Psychology Today , cada pessoa cria e desenvolve uma imagem da pessoa com quem se quer estar. Quando uma pessoa viola esta imagem e faz com que o outro parceiro se sinta triste, sozinho, insultado ou usado, o resultado é


 
Votar
 

 
comments powered by Disqus