Por Favor aguarde...
 
   Lembrar dados
 
   Esqueci-me da password
 
 
 

Que tipo de cerimónia pretende?

Ver Resultados

E se de repente NÃO me apetece casar?

E se de repente NÃO me apetece casar?

Existem estudos que comprovam que ao longo do percurso de vida de um indivíduo existem algumas fases de mudança que se caracterizam por “momentos de crise” e um deles é, exactamente, o casamento.



O casamento traz consigo uma conotação de responsabilidade tão grande que se torna insuportável para alguns.


Há quem cresça a dizer que nunca se vai casar e depois, quando olha para si,  já está casado e há aqueles que dizem que uma das suas prioridades é o casamento e constituir família, e quando se aproxima esse mesmo momento, quando se aproxima o  momento de dar um passo em frente, sentem um arrepio tão forte que os faz sentir como se estivessem a avançar para  precipício.

E começam a surgir, então, as questões mais frequentes: “Será que é mesmo isto que eu quero? Será que é a pessoa certa?” E quem sabe?

Alguns acabam por não suportar o peso desse “salto” no percurso da sua vida e terminam com a relação que até à data lhes parecia correr tão bem, para não falar daqueles que só no próprio dia se decidem e.não comparecem no local, à hora marcada, mesmo que seja apenas para fazer uma assinatura.

Outros avançam com algumas duvidas mas acabam por perceber que muitas dessas duvidas e medos se deviam apenas à grande ansiedade e nervosismo característicos de um momento importante nas suas vidas. E acaba por correr tudo bem...


Alguns têm mesmo referências negativas de casamentos destruturados, sentem medo, mas percebem que podem fazer as coisas de forma diferente e serem felizes com a pessoa que escolheram para ficar ao seu lado. E pensem um pouco, aqueles que dizem que o casamento é só um papel assinado e que nada muda, se não fosse realmente importante não assumiam o casamento mas sim a união de facto ou uns “namoriscos” prolongados.

Existem também aqueles de depois de anos e anos de namoro decidem casar e embora se deparem com duvidas recorrentes, assumem que são duvidas consequentes daquele nervosismo e ansiedade de que há pouco se falava, e após pouco tempo de casamento sentem que nunca o deviam ter assumido. T


erminando (agora) uma relação de tantos anos que, sem o “peso da responsabilidade”, se mantinha mais ou menos estável e após o “enlace” tudo mudou como se fosse tudo culpa do facto de se terem casado, eu diria que “acreditaram que o casamento salvaria uma relação que já estava terminada há algum tempo”.

De facto o “passo” para o casamento caracteriza-se como um “momento de crise” mas desde que cada um perceba que vai haver, impreterivelmente, mudanças e assumam saber gerir essas mesmas mudanças de forma a respeitar-se e a respeitar a individualidade do outro têm quase tudo para fazer resultar a relação  em que apostaram, gerando frutos do amor que vivem.


  • Casamento sim! Ou... porque não?

    Já dizia Harris (1970)*, que o casamento seria uma instituição criada para desempenhar as tarefas que foram consignadas à família, ou seja, a procriação, a educação das crianças e a transmissão de cultura.

  • Casar em Las Vegas

    Las Vegas, célebre pelos seus casinos imponentes, é certamente um dos melhores locais do mundo para casar.
    Aqui, encontram-se casamentos para todos os gostos. Desde as habituais capelas psicadélicas, onde por cerca de 200 euros pode ter como padrinho de casamento, um sósia de Elvis Presley, ao casamento tradicional.

  • Ofereça o seu vestido de noiva a Fátima

    Se fez uma promessa ou deseja simplesmente agradecer a Nossa Senhora, saiba que o Santuário de Fátima recebe todos os vestidos de noiva que lhe forem oferecidos.

  • Compatabilidade dos Signos

    Quando se anda à procura da «alma gémea» todas as ajudas são preciosas. Aqui pode refinar a sua procura, descobrindo qual o signo que melhor se adequa à sua personalidade. Veja a legenda no final da página para melhor perceber a compatibilidade dos signos.


 
Votar
 

 
comments powered by Disqus